JambaKiaxi

O mundo noticioso sem preço

Líderes da CASA-CE com discursos desencontrados

fefweO presidente do PADDA defendeu, na semana passada, em conferência de imprensa, que a instituição sob sua liderança deverá analisar a maka da transformação da CASA-CE num único partido, tendo em conta que a organização a que preside é uma das quatro pequenas formações políticas que integram a coligação criada pelo antigo jovem turco da UNITA, Abel Chivukuvuku.

Se, por um lado, Alexandre Sebastião , líder do Partido da Aliança Democrática de Angola (PADDA), defende a transformação, para breve, da Coligação Ampla de Salvação de Angola (CASA-CE) em partido político, por outro, Lindo Bernardo Tito insiste que, pelo menos durante este ano, a formação se manterá como coligação.

O desiderato não é novo. Em 2012, aquando do congresso da CASA-CE, o assunto já tinha sido discutido, mas, a meio do conclave, os militantes decidiram-se a retirar da agenda de trabalho o referido ponto, preferindo a manutenção como uma aliança de partidos.

Na semana passada, o presidente do PADDA defendeu, em conferência de imprensa, que o partido que dirige deverá analisar o assunto durante o congresso a ser realizado no final deste mês. Para o efeito, de acordo com o político, serão convocados mais de 500 congressistas eleitos em conferências municipais e provinciais, assim como os do círculo nacional.

Explicou que a realização do conclave é um imperativo, para que esta formação política, que desde 2012 integra a CASA-CE, possa facilitar a transformação desta coligação em partido político. Por sua vez, o vice-presidente da CASA-CE, Lindo Bernardo Tito, garantiu à Voz da América que as quatro formações que integram a aliança vão fundir-se para dar lugar a partido político concorrente às eleições de 2017.

Em contrapartida, esta posição não é partilhada pelos demais líderes da coligação. Segundo Lindo Bernardo Tito, o congresso constitutivo dos pupilos de Abel Chivukuvuku está marcado para 2016 e será nele que o assunto deverá ser analisado, tendo em vista as eleições de 2017.

O também deputado disse que, na sequência desta fusão, os partidos integrantes serão declarados extintos, devendo surgir uma nova formação política a ser inscrita no Tribunal Constitucional e com uma nova denominação, mas reconhece que a agremiação garante maior coesão e unidade interna para enfrentar os novos desafios eleitorais. Recentemente, numa abordagem sobre os problemas à volta da CASA-CE, o jornalista e analista Makuta Nkondo foi acusado de estar a reboque da figura de Abel Chivukuvuku.

A CASA-CE, com oito deputados na Assembleia Nacional, é a terceira maior força política angolana que se guindou a este estatuto, depois das eleições gerais de 2012. Em 2013, realizou o seu primeiro congresso extraordinário, com debates sobre a situação política e económica de Angola. Mas, as alterações estatutárias e a ideia de passagem da coligação a partido não andaram.

Fonte:Angonotícias/Jambakiaxi

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 22 de Janeiro de 2015 by in CASA-CE, Politica and tagged , , , , .

Navegação

%d bloggers like this: