JambaKiaxi

O mundo noticioso sem preço

Angola já contraiu empréstimos de mil milhões de dólares para equilibrar orçamento

fwwgAngola está a negociar com o Banco Mundial um empréstimo de 500 milhões de dólares para equilibrar o orçamento, a somar a mais 500 milhões já contratados com o Goldman Sachs e Gemcorp Capital, noticiou hoje o Financial Times.

Segundo o jornal, o Governo angolano está a negociar um empréstimo concessional – a juros muito abaixo dos praticados pela banca comercial – no valor de 500 milhões de dólares, elevando para mil milhões de dólares o montante de empréstimos contraídos nas últimas semanas.

A informação é avançada ao jornal britânico pelo responsável do Banco Mundial pelo acompanhamento de Angola, Souleymane Coulibaly, que afirma que “o principal é dar algum alívio de curto prazo por causa da abrupta redução de receitas”.

O Governo de Angola “está a analisar as prioridades, onde cortar na despesa, para garantir que o elemento social é, de alguma forma, protegido, mas o programa de reformas que vai ser sustentado no apoio orçamental é para fortalecer a gestão orçamental a médio prazo”, diz o economista do Banco Mundial que acompanha Angola a partir dos Camarões.

A informação do jornal britânico surge no dia anterior à aprovação do Orçamento do Estado retificativo, que deverá ser ratificado na sexta-feira em Luanda, esperando-se uma diminuição para menos de metade do preço do barril – de 81 para 40 dólares -, o que representa um corte de 14 mil milhões de dólares nas receitas, e fortes cortes e adiamentos na despesa, nomeadamente nas obras públicas.

O petróleo vale 98% das exportações de Angola e foi responsável, em 2013, por 76% das receitas fiscais, sendo portanto um fator incontornável na elaboração do plano de despesas e receitas do país.

O objectivo maior do empréstimo que deverá ser concedido a Angola é assegurar que “os pobres e os vulneráveis” são protegidos dos cortes orçamentais, o que representa um universo de 24 milhões de pessoas que vivem com menos de um dólar por dia, o que ilustra bem as “gigantescas disparidades que existem entre as elites e o povo”, escreve o Financial Times.

Fonte:Jambakiaxi

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 6 de Fevereiro de 2015 by in Economia, Politica and tagged , , , , , .

Navegação

%d bloggers like this: