JambaKiaxi

O mundo noticioso sem preço

CASA-CE anuncia disponibilidade para acordo de governação pós-eleitoral

fwefO líder da coligação eleitoral Convergência Ampla de Salvação de Angola (CASA-CE), Abel Chivukuvuku, anunciou ontem a disponibilidade daquela força política, a segunda maior da oposição, para entendimentos pós-eleitorais que permitam a “mudança” em 2017.

O presidente da CASA-CE falava em Luanda, à margem de um encontro com jornalistas e apoiantes para recordar os três anos da formação desta coligação de partidos angolanos e que na primeira eleição a que concorreu, em 2012, conseguiu garantir oito dos 220 deputados à Assembleia Nacional.

“O nosso entendimento é de que o fundamental é haver mudança em Angola. E para haver mudança em Angola pode pressupor a CASA ser o actor fundamental e único ou pode pressupor a CASA poder fazer acertos com outras forças politicas, a UNITA, o Bloco [Democrático], outros”, admitiu Chivukuvuku.

Em causa estão as eleições gerais previstas para 2017 em Angola, numa altura em que ainda se desconhece se o actual presidente e líder do partido maioritário, Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), José Eduardo dos Santos, nas funções desde 1979, concorrerá a novo mandato.

Já o líder da CASA-CE garante que esta força política será, em 2017, um “factor dinamizador das mudanças em Angola” e que “sozinha ou em coligação” formará governo nas próximas eleições.

“A nossa obrigação por Angola é fazermos a mudança. E se isso implicar, em 2017, numa perspectiva pós-eleitoral, acertos para fazermos a governação patriótica de Angola, nós estamos disponíveis e iremos fazê-lo”, advogou o líder desta força política.

Abel Chivukuvuku recordou que todos os meses passa quinze dias numa província, no contacto com os cidadãos, e os restantes em Luanda, justificando a convicção sobre mudanças eleitorais em 2017 com “a realidade do país” que tem vindo a encontrar.

Candidatura

Abel Chivukuvuku confirmou também a informação de que a CASA-CE vai passar a partido político este ano, tendo as várias forças integrantes dado o seu aval, antevendo ainda a sua candidatura à liderança.

O líder da CASA-CE disse que após os respectivos congressos, os partidos constituintes da coligação já enviaram ao Tribunal Constitucional as resoluções sobre a fusão num único partido.

“E o Tribunal Constitucional já anotou e aceitou. O próximo passo será o envio de uma certidão de requisição de transformação [fundir os partidos numa nova entidade]. Ainda este ano vamos concluir a parte legal do processo de transformação”, afirmou Abel Chivukuvuku.

Na primeira vez que concorreu a eleições, em 2012, a CASA-CE garantiu logo oito dos 220 deputados à Assembleia Nacional, tornando-se na segunda força da oposição angolana.

A transformação da CASA-CE em partido político só ficará concluída em 2016, com a realização do primeiro congresso e a eleição dos corpos dirigentes, com Abel Chivukuvuku a admitir a candidatura à liderança.

“Isso é natural. É natural”, disse.

De acordo com informação disponibilizada pelo Tribunal Constitucional, a CASA-CE é a única coligação legalizada em Angola. Integra o PADDA – Aliança Patriótica, o Partido de Aliança Livre de Maioria Angolana (PALMA), o Partido Pacífico Angolano (PPA) e o Partido Nacional de Salvação de Angola (PNSA), que serão extintos ainda este ano.

Fonte:Rede Angola/Jambakiaxi

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 1 de Abril de 2015 by in Politica and tagged , , , , .

Navegação

%d bloggers like this: