JambaKiaxi

O mundo noticioso sem preço

Igreja Tocoísta é ilegal

qewfA Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo – «Os Tocoístas», liderada pelo bispo Dom Afonso Nunes e sediada no Golfe II, em Luanda, reagiu recentemente, a revelação feita pelo Semanário Angolense de que essa confissão religiosa trabalha sem o reconhecimento jurídico e definitivo do Estado angolano.

A reacção da instituição veio por meio do seu próprio bispo-mor durante o culto que aconteceu na catedral universal, que é a sede da denominação. «Uma notícia está a estremecer toda a Igreja, causando estresse a alguns, quando ouviram e leram que a Igreja Tocoísta está na ilegalidade, juntada quase a outras – que chamamos de igreja, ou não, que criou problemas lá no Huambo», sublinhou Afonso Nunes na sua intervenção.

Aqui faz-se uma clara alusão aos acontecimentos nefastos que monopolizaram os noticiários nos últimos dias, referentes ao embate mortal entre seguidores da seita adventista «Luz do Mundo» e oficiais e agentes das forças de segurança.

O propósito da menção feita por Dom Afonso Nunes reside no facto de que ambas as notícias (o «não reconhecimeto dos tocoistas» e o incidente dos «kalupetekas») tenham sido destacadas na mesma capa do jornal (sem que houvesse qualquer intenção de estabelecer alguma ligação entre os acontecimentos).

Na sequência da sua reacção, o mandatário dos «tocos» empreendeu maior relevo ao discurso, ao afirmar que «os tocoístas ferveram, ficaram zangados» perante as declarações feitas pelo Semanário Angolense. «Eu também fiquei. Eu também fiquei», repetiu sobressaidamente Dom Afonso Nunes, para em seguida dizer o que realmente era esperado que dissesse aos seus seguidores.

«Podem estar em paz, em paz mesmo ‘de’ que a Igreja Tocoísta é uma Igreja legal. Já quase a ir para 100 anos, não podia viver na ilegalidade», grifou o líder da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo, do Golfe II, em alto e bom som.

Num esculpido apelo à crença dos fiéis, Dom Afonso Nunes deixou enunciado que se podia confiar seguramente nele, pois «o pastor (ele) não conduz as ovelhas para o precipício». E como que para selar a confiança que desejava transmitir, deixou bem patente na sua mensagem que a Igreja não tinha razões de ser ilegal.

«Seria crime, se, por exemplo, ouvíssemos da parte do Estado que a Igreja Tocoísta está ilegal», considerou o bispo. E apesar de serem já de praxe as suas aparições televisivas e na mídia de um modo geral, aproveitando a ocasião em que uma equipa da Televisão Pública de Angola se encontrava naquele templo para a transmissão em directo de uma intervenção sua, o líder dos tocoístas perguntou se a TPA poderia estar presente no recinto, sendo a Igreja ilegal.

E perguntou mais, buscando dissipar qualquer dúvida possível: «Uma Igreja ilegal vai cooperar com o Estado? (Não! – respondeu a multidão de membros). Vai trabalhar nas obras sociais com o Estado? (Não!). Uma Igreja ilegal, o líder pode ser recebido pelo Chefe de Estado? (Não!) Pode conversar constantemente com o Chefe do Estado? (Não!)».

Fonte:Angonotícias/Jambakiaxi

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 14 de Maio de 2015 by in Politica, Religião, Sociedade and tagged , , , , , .

Navegação

%d bloggers like this: