JambaKiaxi

O mundo noticioso sem preço

Oposição boicota debate mensal em protesto

HJ,As bancadas parlamentares da oposição desistiram do debate mensal sobre o salário mínimo nacional, que decorria na Assembleia Nacional, quando os jornalistas foram impedidos de realizar o seu trabalho.

O tema, proposto pela bancada parlamentar da Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA-CE), começou a ser discutido, até ao momento que os deputados da oposição tomaram conhecimento que os jornalistas estavam a ver dificultado o seu trabalho, com a falta de som, a proibição de gravar e por último o pedido de retirada da sala.

A situação foi colocada à mesa pelo líder da bancada parlamentar da CASA-CE, André Mendes de Carvalho “Miau”, no sentido de se reconsiderar a medida e prosseguir-se com o debate, o que não foi atendido e levou os deputados, incluindo os do partido maioritário, MPLA, a abdicarem do debate.

Em declarações à imprensa, o líder da bancada parlamentar do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), Virgílio de Fontes Pereira, disse que o seu partido foi surpreendido com a “atitude radical da oposição”, pelo que “não faria sentido que o MPLA continuasse na sala a falar sozinho”.

“Não fomos nós que propusemos o tema, não sabemos bem quais são os argumentos de razão que a oposição teria que apresentar, a indicação que dei a todos os deputados do MPLA é que não devíamos falar sozinhos”, disse Virgílio de Fontes Pereira, considerando a atitude da oposição “um aproveitamento político”.

Por sua vez, o segundo presidente da bancada parlamentar da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), Adalberto da Costa Júnior, considerou não existirem razões objectivas ou subjectivas para se limitar a presença de jornalistas no seu exercício.

“Não encontramos razão plausível, nenhuma, para esta atitude musculada, desnecessária, num momento absolutamente contraproducente para este tipo de conflitualidade. O debate mensal só faz sentido se a sociedade tiver acesso aos conteúdos que se passam na Assembleia Nacional”, sublinhou.

Já André Mendes de Carvalho considerou “arrogante e de desrespeito ao povo”, tendo em conta que os jornalistas são “apenas os intermediários entre a Assembleia Nacional e o povo”.

“O povo tem o direito de conhecer, o problema do salário mínimo é um tema abrangente que criou uma certa expectativa e as pessoas têm o direito de conhecer o que é que se iria passar aqui neste debate”, frisou.

Por seu turno, o líder da bancada parlamentar do Partido de Renovação Social (PRS), Benedito Daniel, disse que por entender o debate como uma discussão pública, continuar a debater apenas entre deputados, seria “um exercício inútil”.

“A única forma de se chegar à população é através da imprensa e quando não permitimos que a imprensa transmita (aquilo que discutimos) estamos a fazer exercícios inúteis”, criticou.

Fonte:Rede Angola/Jambakiaxi

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 25 de Maio de 2015 by in Politica and tagged , , , .

Navegação

%d bloggers like this: