JambaKiaxi

O mundo noticioso sem preço

A POLÊMICA DO “ESCURO NOT” CHEGOU AOS REVÚS

dqwedNos últimos dias aconteceu um episódio insólito, preocupante, se quisermos, tanto ao nível das cadeias em que se encontram os “revús”, como no âmbito da actuação de activistas cívicos e outros revús ao nível das redes socias.

Nossas fontes na cadeia demonstram que Luaty Beirão recebe solicitação de visitas três vezes mais do que todos os demais suspeitos. Outra questão que soa ao favoritismo tem que ver com a citação que se faz nos órgãos de informação pró-activistas, em que o nome Luaty aparece sempre como o mais sacrificado uma espécie de “dono da luta”.

O facto mais notório foi o da greve de fome, a maioria dos activistas estava em greve de fome, porém, no Facebook, criaram-se páginas só com o nome “Luaty” e os perfis de activistas e inclusive militantes da UNITA nesta rede social como Ana Margoso e outros, colocaram nos seus perfis exclusivamente fotos de Luaty Beirão. Esqueceram-se de todos os escuros que também sofreram.

A vigília, ao invés de ser convocada em nome de todos os revús, foi inicialmente convocada em prol de Luaty Beirão e sua greve de fome (panfleto publicado na página dos revús “Central Angola”, quando na verdade muitos outros andaram em greve de fome e precisaram igualmente de intervenção médica.

O  RICO  QUE  LIDERA  OS  POBRES

Ele foi o único a ter protagonismo, parece ser o mais abnegado, porém, entre os revús, poucos sabem que Luaty Beirão é herdeiro de uma fortuna milionária que seu pai deixou.

Luaty herdou enorme fortuna, dentre elas, constam as acções em vários bancos comerciais em Angola e supermercados em Portugal. Um dos bancos é o banco Angolano de Negócios e Comércio (BANC), onde a família tem acções. A Caixa Social das FAA é uma das accionistas deste Banco. Portanto, Luaty é um revolucionário rico e nenhuma restrição afecta sua vida, os outros não podem dizer o mesmo, pois vivem nos musseques e têm famílias muito pobres, alguns nem sequer conseguiram estudar.

ESTRATÉGIA PREMEDITADA DE LUATY OU EFEITOS DO SEU PODER FINANCEIRO

Alexandra Simeão, filha da malograda e renomada Deputada Anália de Victória Pereira, e tantas outras figuras públicas só se solidarizaram com o Luaty Beirão. Do ponto de vista sociológico, o racismo pode também ter que ver com questões económicas. Sendo pobres, sem famílias influentes, os demais revús detidos podem estar a ser discriminados pelos seus supostos “amigos de causa”.

Alguns ainda afirmam que Luaty tem uma espécie de “Lobby” fora da cadeia que visa transformá-lo no ícone da luta contra a «opressão», daí lhe ter valido uma aparição na Televisão Pública de Angola depois de um boato fomentado pelos próprios activistas de que ele teria morrido na cadeia.

Essa questão já não está a passar despercebida diante da população atenta. Os revú já começaram a ter esse debate e já se sentem pressionados pela abordagem que o público faz.
Vigilia

MÚSICOS OBRIGADOS A DEFENDER LUATY BEIRÃO

Parece muito triste notar que figuras públicas e músicos tenham sido chamados para defender Luaty e mais uma vez se esqueceram de que existem outros revús na cadeia.

Afinal, a luta é do Luaty Beirão ou de todos?

Diante de tanto favoritismo é caso para dizer “revú escuro, not”, pois o único homem de “cor clara que está detido, o único rico, é também o único que tem protagosnismo lá fora” – rematou a nossa fonte na instituição presidiária.

Fonte:Jambakiaxi

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 12 de Outubro de 2015 by in Politica and tagged , , , , , , , , , .

Navegação

%d bloggers like this: